Os primeiro geólogos formados no Brasil

1957. O Brasil estava no início do governo Juscelino Kubitschek. Com sua meta de “50 anos em 5”, o presidente recém eleito planejava fomentar a indústria nacional. Para isso, era necessário investir na área tecnológica. Porém, o corpo de técnicos brasileiros habilitados para reger esse processo ainda não era muito abrangente. Uma das áreas que mais sentiam essa deficiência era a dos estudos geológicos. Era comum que empresas, tanto públicas quando privadas, tivessem que procurar em profissionais estrangeiros as habilitações para o auxílio técnico. 


Posse do presidente Juscelino Kubitschek.

Os poucos geólogos brasileiros tinham formação em cursos não direcionados à área, como o de História Natural, o que resultava em uma formação ainda precária. Por esses fatores, passou-se a perceber a necessidade de se formar cursos focados apenas nos estudos geológicos. Foi criada, então, em janeiro de 1957, pelo Poder Executivo, a Campanha de Formação de Geólogos (Cage), que fomentou a criação de quatro cursos: um em Porto Alegre, um em São Paulo, um no Recife  (PE) e um em Ouro Preto (MG).

Paralelamente, no entanto, a Petrobras, que, como as demais empresas do período, também contava com vasta mão-de-obra técnica estrangeira, necessitava, por sua vez, imediatamente de geólogos. Assim, a empresa convidou o professor gaúcho Irajá Damiani Pinto, formado à época em História Natural, para organizar um curso na Bahia, voltado à Geologia do Petróleo. O curso foi dividido em duas fases, uma básica – iniciada em janeiro de 1957, com duração de dois meses  – e uma mais longa, que durou mais dois anos. Para formar o corpo docente, ele percorreu boa parte do Brasil procurando professores, selecionando inclusive químicos e físicos. O professor participou apenas da parte inicial do projeto, tornando-se, no restante do curso, colaborador. Os primeiros cursos de Geologia, fomentados pela Cage, iniciaram dois meses depois do da Petrobras, em março de 1957. 
Notícia sobre a criação da empresa Petróleo Brasileiro S.A.
Participação de Othon Henry Leonardos, Senior

Participou da criação dos Cursos de Geologia no Brasil, os quais se originaram a partir de uma reunião no Rio de Janeiro em 1956. Lá estava ele com os professores Avelino Ignácio de Oliveira, Silvio Froes de Abreu, Irajá Damiani Pinto e o géologo John Van Dorr II, este um dos principais incentivadores da criação dos cursos, além do do Professor Jurandir Lodi e Frederico Rangel. O Professor Lodi era Diretor de Ensino Superior do Ministério da Educação e Cultura (MEC). Naquela ocasião, o grupo estudou a possibilidade da criação de cinco cursos de Geologia, isto é, no Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Ouro Preto e Recife. A concepção foi apresentada e detalhada ao Professor Clovis Salgado, então Ministro do MEC. O pré-projeto foi levado ao Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira. Logo percebeu o Presidente, que a formação de geólogos, era imperativa para atender à necessidade do conhecimento do subsolo do Brasil visando cumprir as suas metas de industrialização. O pré-projeto obteve sua aprovação imediata e JK criou a Campanha de Formação de Geólogos (CAGE), tendo como secretário executivo o Prof. Dr. Jurandir Lodi. Com o esforço dos citados membros conselheiros, à capacidade e experiência dos coordenadores dos vários Cursos de Geologia, como os professores Moacir Lisboa, Irajá Damiani Pinto, Viktor Leinz, inclusive do Professor Leonardos, formaram-se os primeiros geólogos brasileiros. O Professor Leonardos foi fundador e diretor da Escola Nacional de Geologia in Rio de Janeiro de 1958 a 1963. O seu livro Geologia do Brasil (que teve três edições), em parceria com Avelino Ignácio de Oliveira, vêm sido ainda usado nos cursos de geologia como obra de referência básica.
Geólogo Othon Henry Leonardos, Senior

Audiência pública com os primeiros geólogos formados no Brasil

No final do seu Governo, Juscelino Kubitschek convidou para uma audiência pública em Brasília, os primeiros geólogos formados sob os auspícios da CAGE nos cursos criados nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul. Infelizmente, o pessoal da escola de Recife não pode estar presente nesta audiência, pois problemas de natureza administrativa ocorridos naquela escola, fizeram com que sua primeira turma somente se formasse um ano depois. 

Nessa audiência, realizada no dia 8 de dezembro de 1960, JK, fiel a uma de suas características de homem de visão e de ação, conferiu pessoalmente o resultado de uma das suas importantes metas de Governo, que foi coordenada e conduzida de forma brilhante pelo seu então Ministro da Educação Clóvis Salgado: "a formação de geólogos brasileiros, visando proporcionar em bases concretas o conhecimento da geologia e o tombamento das riquezas minerais do subsolo brasileiro".


Recorte do Jornal Estado de Minas, de 7 de dezembro de 1960.

Na foto abaixo, temos registrado um momento dessa audiência pública histórica, decorrente da necessidade do Presidente de assinar alguns documentos importantes, que fez com que JK suspendesse temporariamente a atenção que dispensava aos primeiros geólogos do Brasil.Enquanto o Presidente despachava, eles aproveitaram o momento para observar os atos de JK. Após a assinatura dos documentos, o Presidente Juscelino, alegre e informal, expôs sua opinião sobre a importância da geologia e lembrou a todos da responsabilidade dos geólogos para com o futuro do País.


Foto pertencente ao geólogo Arnaldo Gramani, formado pela Escola de Geologia de Ouro Preto, Minas Gerais, participante desta audiência histórica com JK. Na foto estão os geólogos formandos, na época, André Davino - SP, Aloysio José Vieira - MG, Arnaldo de Carvalho Gramani - MG, Celso de Barros Gomes - SP, Clóvis Silva Araújo - MG, Francisco Geraldo Chaves - SP, Giuseppina Giaquinto - SP, Milton Brand Baptista - MG, Ubirajara de Mello - MG, Wilson Scarpelli - SP.

Clique aqui para conhecer o pronunciamento feito pelo geólogo Francisco Geraldo Chaves (SP), que em nome dos primeiros geólogos formados no Brasil, saudou o Presidente Juscelino Kubitschek.

Mais images:



Primeira turma de geólogos formada pelo Curso de Geologia de Ouro Preto - MG, que participaram da audiência histórica realizada em Brasília com o Presidente Juscelino Kubitschek, em 08 de dezembro de 1960.

Placa da primeira turma de Geologia da URGS (atual UFRGS).


Time de futebol da Escola de Geologia – 1961. Da esquerda para a direita vemos: Ortiz, Knijinik, Raif, Fuck, Renato e Rudi e abaixo Bortoluzzi, Schneider, Ariel, Coulon e Pallagi.

Ônibus utilizados para excussões de campo do CAGE.  Esse é o da Escola de Minas de Ouro Preto.

Fontes:



1 comentários:

Maravilhoso e saudoso texto, adorei !